Dovecot – Erro: Número de acessos a mesma conta originado do mesmo IP

February 25, 2016

dovecotLogo

Algumas empresas usam a mesma conta de imap entre funcionários (não recomendado, pois existem listas de e-mails para essa finalidade) e o dovecot reclama quando simultaneamente mais de 10 tentativas de conexão para o recebimento chegam ao servidor. Dez, é o padrão. Como driblar esse erro?

Dentro de /etc/dovecot/dovecot.conf (Debian), existe uma seção para controle do protocolo IMAP. Adicione a quantidade de conexões simultaneas oriundas do mesmo ip seguindo este exemplo:

protocol imap {
mail_max_userip_connections = 50
}

 

Desta forma alteramos o comportamento somente do IMAP.

É necessário dar um reload no serviço: /etc/init.d/dovecot reload

0

Cortex-M0++; Microprocessadores autosuficientes em desenvolvimento pela ARM

August 26, 2013

grdApós o lançamento de seu SoC Cortex-M0+, a ARM passou a promove-lo como o propulsor de sua visão “Internet em todas as coisas” (Internet of Things, ou “IoT”), um mundo no qual todas as coisas (dispositivos, eletrodomésticos, brinquedos, residências, escritórios, semáforos, veículos, etc) contarão com conexão para a internet graças a incorporação de pequenos e econômicos microprocessadores de baixíssimo consumo.

Apesar de o Cortex-M0+ contar com avançadas características (CPU de 32 bits compatível com o conjunto de instruções ARMv6, pipeline de 2 estágios e um consumo de 11,2 uW/MHz) não conseguiu tornar real esse prometido futuro, e a empresa espera que os sucessores do Cortex-M0+ realizem essa façanha.

A ARM afirma estar trabalhando em novos microprocessadores que, finalmente, converterão o conceito IoT (Internet of Things) em uma realidade, graças ao uso da tecnologia power/clock gating e drowsy logic, com as quais desenvolverão chips que operam em frequências muito baixas (algumas dezenas de kilohertz) e com tensão tão baixa que estará muito próxima da tensão de transistores CMOS.

Internet Map - IoT

IoT – Internet of Things

Esses futuros chips também contarão com opções de conectividade integradas, serão muito pequenos e baratos de produzir, e graças ao seu baixo consumo de energia, poderão trabalhar tanto com micro-fontes de energia externas como até mesmo se tornarem autossuficientes energeticamente, podendo capturar e armazenar energia a partir de fatores ambientais.

Os desenvolvedores deverão otimizar suas aplicações para processar pequenas quantidades de dados, e transmitir pacotes de dados também reduzidos o suficiente para permitir a comunicação (via internet) entre todos os tipos de dispositivos e equipamentos; Isso vai exigir uma lógica completamente diferente da usada pelas aplicações atuais.

E as aspirações da ARM não param por aí, já que também afirmam estar trabalhando em microprocessadores com consumo abaixo do que encontramos em transistores CMOS (já existem protótipos funcionais), e que operam em tensão inferior a 0,3 volt, isso será possível por meio do uso de novas tecnologias em transistores e de fabricação.

 

[[ Um futuro distante tangível ]]

skynet-Vemos que a ARM não renunciou sua visão “Internet em todas as coisas”, o Cortex-M0+ é apenas o chip que dá o primeiro passo nesse caminho, e talvez vejamos no futuro um hipotético Cortex-M0++ que estará presente em “todas as coisas” e nos permitirá desfrutar de um futuro cheio de avanços que vemos apenas em filmes de ficção, o que, sem dúvida, transformará nossa sociedade e o modo de vida, nos oferecendo ainda mais conforto e segurança.

No momento, esse futuro ainda está um pouco distante, entretanto mais cedo ou mais tarde os futuros chips gradualmente trarão à realidade a mudança dos planos de “um computador em cada casa” para o da “internet em todas as coisas”.

Um microprocessador auto sustentável e com baixo consumo de energia para ligar tudo a internet – não são poucos os filmes que retrataram uma realidade como esta; como o filme “Terminator” e a sua maléfica SKYNET – Inteligência Artificial Neural que declara guerra aos seres humanos.

 

 

 

0

Oracle focado na Virtualização

August 1, 2013

O próximo integrante da família de sistemas integrados da Oracle, os chamados  “engineered systems “, que combinam software e hardware, pretende endereçar necessidades de virtualização.

Programado para ser apresentado ao mercado no dia 13 de Agosto, durante uma sessão online com Wim Coekaerts, vice-presidente sênior para a área de Linux e virtualização, de acordo com um comunicado no site da Oracle, o novo sistema vai incorporar tecnologias obtidas com a compra da Xsigo. Em abril, o fabricante anunciou o suporte da OVN para os seus servidores Sparc M5 T5, T4 e,para o Solaris OS, em ambas as plataformas, x86 e Sparc.

Os clientes que comprarem o produto de virtualização serão capazes de “instalar e implantar o infraestrutura virtualizadas em apenas algumas horas”, segundo a empresa . O sistema “fornece uma infraestrutura convergente suportada pelo Oracle VM de servidores e o Oracle Virtual Networking“, prossegue o texto no blog da empresa.

Desde que entrou no negócio do hardware, com a aquisição da Sun Microsystems, a Oracle tem registado uma queda consistente nas receitas relativas a essa área. Contudo, a empresa mantém-se focada na venda de sistemas integrados, com maiores margens de lucro do que os servidores mais comoditizados.

Funcionários da empresa preveem, no entanto,  que a Oracle está prestes a registar um crescimento da receita de hardware no seu atual ano fiscal. Até agora, o primeiro sistema integrado de engenharia, a máquina de base de dados Exadata parece ser a mais bem sucedida.

0

NovaTec traz ao Brasil Manual do Usuário – Raspberry Pi

August 1, 2013

Escrito por Gareth Halfacree e Eben Upton, cocriador e diretor executivo do Raspberry Pi, o livro Raspberry Pi – Manual do Usuário tem 269 páginas recheadas das informações necessárias para colocar o diminuto computador em funcionamento, configurá-lo, administrá-lo, programá-lo (em Scratch e em Python) e usá-lo tanto na forma de estação de produtividade como de central multimídia.

Os 13 capítulos apresentam, de forma detalhada e com linguagem simples, desde os detalhes essenciais de conexão do Raspberry Pi a teclado, mouse, armazenamento e vídeo e administração básica de uma distribuição Linux, até detalhes sobre usos avançados, como programação e expansão do hardware.

Veja o restante da matéria em seu post original no BR-Linux e concorra a um exemplar seguindo as orientações da BR-Linux

0

Como executar um FSCK em LVM’s ? (Debian/Ubuntu)

November 8, 2012

Quando necessitamos executar um fsck, ou outro tipo de reparo em uma partição LVM – não devemos isoladamente tentar executar fsck diretamente no disco da LVM (como /dev/sdb1).

É recomendado que reinicie o servidor com um disco “LIVE” (pode ser a distribuição que desejar. Utilizamos um Ubuntu Desktop CD iniciado como “LIVE – Try From Disc”)

O FSCK primeiramente precisa reconhecer o volume lógico da LVM; caso você tenha bootado um live CD com o propósito de reparar uma partição danificada.

Vamos aos passos:

Verifique se você tem no live cd os pacotes de manipulação do lvm:

sudo apt-get install lvm2

Após instalado/caso já possua; precisamos detectar os nossos Volumes:

Para facilitar o processo:

# sudo su – root

Em seguida, scaneando por Volumes;

# lvm vgscan -v

Ativar os volumes:

# lvm vgchange -a y

Listar os volumes:
# lvm lvs –all

E agora podemos reparar o volume desejado, como no exemplo:

# fsck -C -y /dev/mapper/volname/volNUmber

Para ter certeza de que você está reparando o volume correto, que apresenta erros; verifique se o mesmo encontra-se listado dentro do volume que você for executar o fsck :

#lvm pvdisplay

0

RHEL beta 5.9 traz driver Hyper-V da Microsoft

September 24, 2012

Com o recém-lançado  beta do Red Hat Enterprise Linux (RHEL) 5.9, a Red Hat integrou os drivers para a tecnologia de virtualização Hyper-V da Microsoft, que foi desenvolvida como parte do kernel do Linux no RHEL5.

O beta do RHEL5 inclui o utilitário rsyslog, possibilitando aos usuários a mudança para a instalação de um novo pacote de rsyslog5. Os pacotes incluem agora o Samba 3x, especificamente a versão Samba 3.6.

Disponível para assinantes da Red Hat através do portal de clientes da empresa, o RHEL 5.9 beta também oferece o Java 7, que pode ser executado a partir de ambientes IBM, OpenJDK e Oracle. Como de costume, a Red Hat possui drivers atualizados (em grandes quantidades), com a intenção de melhorar o suporte à distribuição, o que envolve recentes introduções e questões relacionadas a hardware.

Mais detalhes sobre estes e outros novos recursos podem ser encontrados nas notas de lançamento.

matéria original de IMasters

0

Da ficção dos games para a realidade: Drones de Combate com LINUX

June 19, 2012

Pensando na segurança dos seus drones de combate, a marinha norte-americana pretende ver como se comportam com o sistema operacional Linux instalado nos seus drones.

 

Para proceder à instalação do Linux, a marinha norte-americana fechou um contrato no valor de 28 milhões de dólares com a Rayteon, uma empresa especializada no ramo militar e aeroespacial.

A atualização para o Linux será feita em drones baseados na tecnologia VTOL (descolagem e aterragem vertical). No momento, o único modelo que corresponde a essas especificações é o MQ-8B Fire Scout, que foi desenvolvido pela Northrop Grumman, outra empresa especializada na indústria militar.

O MQ-8B Fire Scout, foi o primeiro drone equipado com armamento, a ser usado num cenário de guerra e é atualmente utilizado no Afeganistão na luta contra o terrorismo. A sua escolha no Afeganistão deve-se ao fato de ser o único drone que não necessita de uma pista para decolar ou aterrissar, devido ao fato de poder executar essas duas operações verticalmente.

A marinha norte-americana pretende assim criar a sua própria distribuição Linux, diferente dos outros já lançados e focado unicamente nos próprios drones, talvez para evitar toda e qualquer tentativa de invasão hacker ao sistema, como relata o jornal Register.

Fonte: POP Tech

0

Fedora 17: Data de Lançamento será adiada

May 19, 2012

O Projeto Fedora anunciou que vai adiar o lançamento do Fedora 17 por uma semana. A liberação, que seria feita no dia 22 maio, agora ocorrerá no dia 29 do mesmo mês. A principal razão disso, é que o projeto quer cuidar de quatro erros classificados como bloqueadores dos candidatos à versão atual; se possível, os desenvolvedores também utilizarão o tempo extra para corrigir uma dúzia de outros problemas que ainda persistem.

Desenvolvedores do Fedora Trabalharão em Ajustes Finais para Liberar a Versão 17
Desenvolvedores do Fedora Trabalharão em Ajustes Finais para Liberar a Versão 17

Enquanto a data de lançamento não atrasar novamente, o Fedora 17, que virá sob o codinome “Miracle Beefy”, estará disponível três semanas mais tarde do que havia sido inicialmente previsto, o que caracteriza-se como uma situação típica para o Projeto Fedora. Algumas das maiores mudanças na versão 17 incluem o processamento de software para o GNOME Shell e remoção dos diretórios /lib/, /lib64/, /bin/, e /sbin/ diretórios, além da inclusão de programas importantes como Linux 3.3, GIMP 2.8, GNOME 3.4.1, KDE 4.8.3, LibreOffice 3.5.2 e X.org X Server 1.12.

0

Primeiro Ultrabook Dell com Ubuntu

May 10, 2012

A Dell resolveu inaugurar um novo mercado para os notebooks poderosos e ultrafinos. A empresa anunciou uma versão do XPS 13 que, ao contrário da convencional, roda o sistema operacional Ubuntu.  O modelo com Linux é igual ao irmão, que é vendido com o Windows 7.XPS 13 terá versão com Ubuntu voltada para desenvolvedores (Foto: Divulgação)Caso o aparelho seja disponibilizado para usuários comuns, poderá representar uma economia interessante, uma vez que dispensa a aquisição da licença do Windows no ato da compra. a Dell, no entanto, a expectativa é que o produto tenha mais apelo entre desenvolvedores do que entre consumidores comuns. Para a fabricante, o perfil do computador com hardware interessante e sistema operacional livre tende a conquistar programadores e profissionais de TI. A ideia é oferecer um sistema que possa agradar as necessidades de quem cria softwares para sistemas como Android ou escreve códigos para Ruby e Java Script. Por conta disso, o produto contará com uma suíte de recursos e ferramentas para desenvolvimento de softwares. A Dell batizou a série de ajustes no sistema de Sputnik.Até o momento, a empresa não informou qual será o método de comercialização do produto. Caso faça uso das suas plataformas tradicionais de comercialização, consumidores com o perfil desejado pela Dell teriam acesso aos modelos.

0

EA – Challenging Every O.S ?

May 7, 2012

Por:Tiago Hillebrandt

A misteriosa publicação no Google+ dos funcionários da CanonicalJorge Castro e Jono Bacon – anunciando uma sessão dedicada a Electronic Arts no UDS-Q levanta especulações quanto a vinda da gigante dos games para o mundo Linux.

Depois da Valve, surgem especulações sobre vinda da EA

 

Fortalecendo o rumor, Michael Larabel, dono do Phoronix e responsável pela confirmação da vinda da Steam ao Linux, publicou uma nota em seu Twitter, no último 25, afirmando que “além da Valve, o Ubuntu dá evidências de que trará em breve novidades sobre games para Linux de um outro grande estúdio”.

Michael ainda comenta o assunto no seu blog dizendo que já teve conversas sobre Ubuntu com representantes da Eletronic Arts e que a empresa fala sobre Linux referindo-se apenas ao Ubuntu e ao Android, não ficando claro se teremos qualquer suporte a outras distribuições. A expectativa, segundo Michael, é ter a primeira leva de games – ainda em 2012 – disponíveis na Central de programas do Ubuntu. Ainda segundo ele, a parceria entre a Canonical e a Eletronic Arts não significa a vinda da Origin, sendo os games exclusivos da Central de programas do Ubuntu.

Se confirmada, a vinda de games já consagrados, como Medal of Honor, Battlefield, FIFA e Need for Speed, com toda certeza trará a felicidade geral para nação Linuxer 🙂 Isso certamente geraria uma grande revolução na concepção de muitos usuários, que ainda acreditam no mito de que o pinguim não tem jogos. Seria o fim de uma Era de críticas!

Com tantas notícias boas nos últimos dias, creio que a credibilidade depositada pelas gigantes dos games no Linux – se confirmada – poderá acabar servindo de inspiração para outras gigantes de outras áreas, tais como AdobeCorel, chegarem a plataforma.

Depois da Valve, surgem especulações sobre vinda da EA

E vale lembrar que a Canonical está fazendo a frente junto as duas gigantes, silenciando os flames as críticas onde a empresa é acusada de não contribuir para o mundo Linux como um todo.

Notícia de Ubuntu-BR-SC

0