Cortex-M0++; Microprocessadores autosuficientes em desenvolvimento pela ARM

August 26, 2013

grdApós o lançamento de seu SoC Cortex-M0+, a ARM passou a promove-lo como o propulsor de sua visão “Internet em todas as coisas” (Internet of Things, ou “IoT”), um mundo no qual todas as coisas (dispositivos, eletrodomésticos, brinquedos, residências, escritórios, semáforos, veículos, etc) contarão com conexão para a internet graças a incorporação de pequenos e econômicos microprocessadores de baixíssimo consumo.

Apesar de o Cortex-M0+ contar com avançadas características (CPU de 32 bits compatível com o conjunto de instruções ARMv6, pipeline de 2 estágios e um consumo de 11,2 uW/MHz) não conseguiu tornar real esse prometido futuro, e a empresa espera que os sucessores do Cortex-M0+ realizem essa façanha.

A ARM afirma estar trabalhando em novos microprocessadores que, finalmente, converterão o conceito IoT (Internet of Things) em uma realidade, graças ao uso da tecnologia power/clock gating e drowsy logic, com as quais desenvolverão chips que operam em frequências muito baixas (algumas dezenas de kilohertz) e com tensão tão baixa que estará muito próxima da tensão de transistores CMOS.

Internet Map - IoT

IoT – Internet of Things

Esses futuros chips também contarão com opções de conectividade integradas, serão muito pequenos e baratos de produzir, e graças ao seu baixo consumo de energia, poderão trabalhar tanto com micro-fontes de energia externas como até mesmo se tornarem autossuficientes energeticamente, podendo capturar e armazenar energia a partir de fatores ambientais.

Os desenvolvedores deverão otimizar suas aplicações para processar pequenas quantidades de dados, e transmitir pacotes de dados também reduzidos o suficiente para permitir a comunicação (via internet) entre todos os tipos de dispositivos e equipamentos; Isso vai exigir uma lógica completamente diferente da usada pelas aplicações atuais.

E as aspirações da ARM não param por aí, já que também afirmam estar trabalhando em microprocessadores com consumo abaixo do que encontramos em transistores CMOS (já existem protótipos funcionais), e que operam em tensão inferior a 0,3 volt, isso será possível por meio do uso de novas tecnologias em transistores e de fabricação.

 

[[ Um futuro distante tangível ]]

skynet-Vemos que a ARM não renunciou sua visão “Internet em todas as coisas”, o Cortex-M0+ é apenas o chip que dá o primeiro passo nesse caminho, e talvez vejamos no futuro um hipotético Cortex-M0++ que estará presente em “todas as coisas” e nos permitirá desfrutar de um futuro cheio de avanços que vemos apenas em filmes de ficção, o que, sem dúvida, transformará nossa sociedade e o modo de vida, nos oferecendo ainda mais conforto e segurança.

No momento, esse futuro ainda está um pouco distante, entretanto mais cedo ou mais tarde os futuros chips gradualmente trarão à realidade a mudança dos planos de “um computador em cada casa” para o da “internet em todas as coisas”.

Um microprocessador auto sustentável e com baixo consumo de energia para ligar tudo a internet – não são poucos os filmes que retrataram uma realidade como esta; como o filme “Terminator” e a sua maléfica SKYNET – Inteligência Artificial Neural que declara guerra aos seres humanos.

 

 

 

Leave a Reply